De vez em quando, os Socretinos lá têm uma razão para regressar à tona

Portugal melhora resultados a Matemática no 4.º ano

Por outro lado, uma geração com bons resultados a matemática dificilmente voltará a eleger alguém como Sócrates

. O socialismo está em risco.

6 comentários a “De vez em quando, os Socretinos lá têm uma razão para regressar à tona

  1. Segundo julgo saber, o Francisco Louçã, quando era jovem, recebeu das mãos do próprio presidente da república, o saudoso almirante Américo Thomaz, um prémio por ter sido o melhor aluno de liceu do seu ano em todo Portugal. Deve portanto ter sido também um bom aluno de matemática.

  2. As pessoas podem saber fazer contas no 4º ano. Mas isso serve para fazer o troco se trabalharem no supermercado (e mesmo assim há com cada um…). Acredite que há que chegue ao 9º ano sem saber a diferença entre 5 e 5%.

    Se forem endoutrinadas que o estado paizinho tem que lhes dar tudo, que os “ricos” pagam poucos impostos e têm que pagar ainda mais, que a segurança social vai falir por causa das reformas milionárias, e outras patacoadas, se lhes disserem que os juros da troika são muito altos (são mais baixos do que qualquer banco nos emprestaria, mas ok) elas vão acreditar.

    Porque querem acreditar, e porque não sabem fazer contas acima de um nível básico. Eu não saí da escola pública assim há tanto tempo e o panorama é desolador. Melhora um pouco no secundário, mas a relativa qualidade não vai durar, passou a ser obrigatório, pelo que vai ser passar toda a gente, porque qualquer calhau tem o direito constitucional de êxito escolar.

    estes resultadinhos estão num ponto onde o facilitismo ainda não é gritante. no 4º ano, por menos que as criancinhas trabalhem, a diferença de resultados não é muita. A partir daí é que tem que se ensinar menos, não só para a genenralidade da população não questionar o socialismo, mas para os mais preguiçosos e os menos capazes não terem negativas a torto e a direito.

    • Não deixa de ser curioso que hoje em dia a emigração que existe em Portugal é de novos licenciados que conseguem vingar lá fora. Será que não sabem fazer contas? As empresas onde estas pessoas estão não se queixam.
      Não deixa de ser curioso que cada vez há mais jovens a criar as suas empresas, muitas delas que já dão cartas a nível mundial (Outsystems, Critical Software). Será que não sabem fazer contas?

      Não é com estas conversas feitas de café que vamos melhorar o nosso ensino. E de certeza que não é fazendo exames no 4 e no 6 que vamos melhorar….

    • Ainda recentemente soube de um indivíduo, um engenheiro civil português, que estava desempregado, que emigrou para a Noruega. Diz que concorreu a uma empresa norueguesa e os noruegueses, mal receberam o pedido dele, contactaram-no logo a suplicarem-lhe que fosse. Ofereceram-lhe casa e emprego para a mulher se ele quisesse (é solteiro). Disseram-lhe que adoravam engenheiros portugueses, que não queriam outra coisa, porque a experiência deles é que é gente muito trabalhadora e muito adaptável à cultura norueguesa.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s