Sobre o tal salário mínimo europeu

Os líderes europeus gostam de uniformizar, está-lhes na massa do sangue. Depois do tamanho dos pêssegos, do comprimento dos envelopes, da carga fiscal das empresas e do peso das galinhas, desta vez Juncker veio propôr um salário mínimo para toda a Europa.
Alguns comentadores da área socialista, que até apoiam a a existência de salário mínimo, já vieram contestar a ideia. Dizem eles que não será possível ter o mesmo salário mínimo em economias com níveis de desenvolvimento tão diferentes. Têm razão. Não faz grande sentido de facto ter o mesmo salário mínimo em áreas geográficas com tão grandes diferenças de bem-estar económico como a Hungria e o Reino-Unido. Isto era coisa para afectar severamente o emprego e o crescimento económico em países mais pobres como a Hungria e a Polónia. Observando, em baixo, o PIB per capita de diferentes economias, só se pode concluir que não faz sentido que tenham o mesmo salário mínimo:

PIBpc
(Fonte: Eurostat)

7 comentários a “Sobre o tal salário mínimo europeu

  1. O Juncker não estava de partida? Quando estes “dinossauros” estão de partida, de qualquer coisa, dão-se sempre ao luxo de soltarem umas quantas larachas, para ver se ficam bem na foto final.

  2. Não faz grande sentido de facto ter o mesmo salário mínimo em áreas geográficas com tão grandes diferenças de bem-estar económico como…..Lisboa e Bragança, ou Braga, ou Porto, ou Viseu. Aliás, acabam por concorda, finalmente, que não faz sentido o SMN.

  3. O PIB per capita por si não nos dá qualquer tipo de indicação quanto ao nível de bem estar económico de uma população, para isso tem-se que se usar os indicadores compostos como o IDH. Os países exportadores de petróleo têm um elevado PIB/per capita no entanto têm elevadas assimetrias.

  4. O IDH combina o PIB per cabita com a esperança média de vida e a média/estimativa de anos de escolaridade. Se o último comentador conseguir explicar como estes dois factores afectam um empregador que não consiga empregar uma força de trabalho seguindo padrões salariais de empregadores situados em áreas geográficas com o dobro do PIB per capita e, consequentemente, os efeitos nefastos de uma uniformização do salário mínimo (o assunto aqui abordado com algum humor), teria todo o interesse em ler tal análise.

  5. O próprio post desmente a tese que pretende demonstrar.
    De facto, apesar de a região Centro de Portugal ter o mesmo salário mínimo que a Madeira, o que se verifica é que a região Centro está a crescer a uma taxa bastante mais elevada, e tem um desemprego bastante menos elevado, do que a Madeira.
    Ou seja, aparentemente o facto de o salário mínimo ser deveras elevado não está a prejudicar o dinamismo económico da região Centro.

    • O que existe é o salário minimo português.O PIB da Madeira é muito ilusório, resulta das empresas que estavam na zona franca. O do norte também, mas por defeito, há indícios de que aí a economia clandestina tem maior peso.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s