Go Galt: emigrar para os Emiratos Árabes Unidos

DubaiMarina
Face aos inúmeros pedidos quee tenho recebido nos últimos tempos. Fica aqui uma perspectiva sobre os Emiratos Árabes Unidos e as perspectivas de emprego nesse país. Para aqueles que procuram emprego, também se podem juntar ao grupo no Facebook “Go Galt: empregos no Dubai e Médio Oriente”.

Ambiente político e económico: Os EAU não cobram impostos sobre o rendimento, nem contribuições para a segurança social. O único imposto sobre residentes é uma espécie de IMI, com uma fórmula de cálculo complexa mas que custa a quem habita a casa cerca de 3% do valor da renda. As empresas públicas que sustentam o Emirato do Dubai entraram em falência técnica em 2009, mas mesmo aí não foi introduzido qualquer imposto directo que teria resolvido rapidamente o problema de tesouraria do Emirato. Por beneficiar de grandes reservas de petróleo, o Emirato de Abu Dhabi tem uma situação financeira muito estável e nem a crise parou o seu crescimento. O valor da moeda está indexado ao dólar, pelo que qualquer variação no dólar fará alterar o valor em euros.
Ambiente cultural: O Dubai tem um ambiente pluricultural, constituido maioritariamente por estrangeiros um pouco por todo o mundo. Existe uma natural tendência de pessoas com backgrounds culturais semelhantes residirem nas mesmas áreas. A zona da Dubai Marina, incluindo Media City, Internet City e Knowledge Village tende a concentrar os ocidentais. É difícil distinguir esta área de uma qualquer cidade europeia.
Questões legais: todos os emigrantes necessitam de visto que é garantido pela empresa que os contrata. Os portugueses, como cidadãos da União Europeia, têm a vantagem específica de poderem ficar no país durante um mês com visto de turista se desejarem procurar emprego. Alguns aproveitam este benefício para ficarem por mais tempo, bastando para isso conduzir 3 horas até Omã, sair do país e regressar.
Como encontrar emprego:o melhor é sempre contactar empresas da área em que trabalham. Headhunters especializados também podem ser uma excelente ajuda. Anúncios em sites genéricos normalmente procuram pessoas já a residir nos Emiratos Árabes Unidos, mas também podem oferecer oportunidades a pessoas com vontade de sair. Finalmente, a Emirates Airlines é uma das maiores empregadoras de portugueses no Dubai. Entre pilotos e hospedeiras já contam com mais de uma centena de portugueses na empresa. Para além de um salário competitivo, sem impostos, garantem casa em localização central com piscina e ginásio, seguro de saúde e vários dias de folga. Empregam maioritariamente licenciados de qualquer área desde que tenham bom conhecimento de inglês.

Alguns websites interessantes para quem procura emprego:
http://www.emiratesgroupcareers.com/english/
http://uae.dubizzle.com/jobs
http://gnads4u.com/home/jobs
http://www.charterhouseme.ae/
http://www.michaelpage.ae/
http://www.heidrick.com/Contact/Offices/Pages/Dubai.aspx
http://www.boyden.com/middleeast/

10 comentários a “Go Galt: emigrar para os Emiratos Árabes Unidos

  1. E fora dessas zonas europeias, pode dizer o que lhe apetece (assumindo que mesmo nessas pode dizer o que pensa)?
    Pode-se beber uma cerveja? Comer presunto? É mal visto ir à igreja (assumindo que são permitidas)?
    Esse género de coisas são interessantes de saber.
    É que entre zero de impostos numa ditadura e alguns impostos numa democracia há alguma diferença.

  2. Pode beber cerveja, comer presunto e ir à igreja sem problemas. Não pode insultar o Islão e os líderes locais em público. Compreendo que haja quem prefira dar metade do seu rendimento ao estado a troco de os poder insultar a seguir. Não é certamente o meu caso, mas respeito a opção.

  3. A paixão pela política é coisa de país socialista. Quando é o estado que absorve o seu rendimento e decide cada passo da sua vida, é normal que sinta vontade de participar e insultar. Quando o estado está ausente, como no Dubai, é-lhe indiferente quais os líderes políticos. Mais uma vez, respeito a sua opção e a sua opinião em geral do Islão e dos países islâmicos. Aceite apenas que há pessoas que possam ter prioridades, opiniões e opções diferentes.

    • Eu gosto bastante da ideia dos impostos baixos do Dubai. Não gosto nada da ideia de ter problemas com os tribunais por retratar o profeta como o troglodita que era.

  4. Carlos,

    Obrigado pela informação.
    Sei que o Dubai acaba por ser menos conservador do que o restante emirado, pessoalmente sente alguma privação subjacente a este tipo de conservadorismo (comportamentos positivos e negativos) ? O visto (trabalho) para casais que não detêm um matrimonio é relativamente fácil de obter?

  5. Nas zonas mais ocidentalizadas não se sente nada. Os casais mais jovens podem-se sentir privados pelo facto de não poderem ter exibições de amor exuberantes em público. em relação ao visto, casais não casados só podem ter vistos individuais (ou seja, se trabalharem ambos). Vistos de família (em que um dos membros não trabalhe), só se forem casados oficalmente. note-se que, em teoria casais não casados não podem viver juntos. Na prática, se não for muçulmano, ninguém se preocupa muito com isso. Milhares de casais vivem nessa situação anos sem qualquer tipo de problema.

  6. Boa tarde.
    Existe alguma possibilidade de aceder ao mercado de trabalho com uma lIcenciatura ligada à formação e educação?! Desde já o meu agradeciemnto antecipado.
    Bruno Dias

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s